sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Atenção: Gato respirando de boca aberta é sinal de Emergência!




       Vejo muitas fotos sendo divulgadas na internet, principalmente instagram com gatinhos de boca aberta e muita agente acha super foto, mas NÃO É. 



GATO RESPIRANDO DE BOCA ABERTA É SINAL DE EMERGÊNCIA! Corre pro PS. 


        Como que eu sei disso sendo que não sou veterinária? Está vendo a foto desta gatinha linda aí em cima? Então, essa era a Cabíria, minha Siamesa que tinha graves problemas respiratórios, que só descobri graças aos veterinários - vários, muitos. 


      Vou tentar resumir ao máximo história dela: Adotei ela já ela adulta, nos primeiros 2 anos comigo nenhum veterinário notou (Incompetência? Negligência? A doença não estava aparente?) nenhuma anomalia nela, quando me mudei para São Paulo eu percebia certa dificuldade em respirar, o abdomem se movimentava com mais intensidade e alguns amigos notavam o mesmo, entretanto eu atribuía este comportamento a ansiedade, pois como a adotei já adulta, certamente ela tinha sofrido um bocado nas ruas, e certos comportamentos denotavam traumas, como medo de vassoura (com o tempo ela se acostumou). Ela respirava assim, mas com a boca fechada: 


Respiração Ofegante - ATENÇÃO



Cabiria from Ju Almstadter on Vimeo.
Os pelos dela estão raspados nesse video, pois ela tinha voltado do veterinário e quem tem animal sabe que é preciso raspar a pelagem para realizar certos procedimentos. 


       A primeira veterinária que notou uma anomalia nela, foi a que Dra Rafaela da Clínica Veterinária Ipiranga - SP (que veterinária incrível Sras e Srs!). Eu tinha levado a Cabíria pra extrair um dente e descobri uma das coisas mais tristes da minha vida: um pulmão colabado (falta de aeração e consequente colapso de parte ou da totalidade de um pulmão, devido a um bloqueio dos brônquios ou bronquíolos. O pulmão, ou parte dele, então “murcha”. Além do prejuízo respiratório, também ocorrem diminuição da oxigenação e outros distúrbios cardiovasculares), com um bolsão de ar entre os pulmões, advindos de uma costela quebrada.


       Em resumo: Alguém deu uma porrada tão violenta nela que arregaçou pulmão, costela e a coluna tb ficou torta. 

       Cabíria era meu milagre, pois todos veterinários que viram a gravidade do quadro sempre perguntavam: Como é que ela sobreviveu? (E ainda deu cria, pois adotei uma filhotinha junto!)


Olha o estrago. Na época eu amaldiçoei tanto quem fez isso com ela... que vcs nem imaginam! 
Juro, se tivessem me dado uma porrada na  cara com uma bigorna, não tinha doído tanto!
Enfim, lição do dia: não é bom amaldiçoar, ter raiva é saudável, mas amaldiçoar é muito zuado pra tudo. Quem fez isso com ela certamente está num nível de consciência muito ínfimo e precisa de luz.

Vamos seguir.

       O problema foi descoberto com uma radiografia, claro, além da veterinária apalpar e daí notar uma anatomia anormal, também ao observar a respiração diferente e ao auscultar seu peito.

       O caso foi levado a universidade em que ela estudava e a junta de professores nunca tinham visto nada similar e menos ainda apontaram uma cura para o caso.
     
      Ao longo dos anos, houveram muitas internações tanto para receber oxigênio, quanto para  tratar pneumonia, (sua condição pulmonar propiciava acúmulo de água no pulmão - o sedentarismo colaborava, pois  ela não aguentava brincar muito devido a dificuldade de respirar, que só agravava com o passar dos anos). 

Cabirinha com a sonda nasal a fim de respirar melhor. E olha! Como respirava bem, o tórax mal se movia! Incrível!

Ela internada com água no pulmão. Fazia apenas 2 semanas que ela tinha passado em consulta veterinária e o pulmão estava limpo.


     Eu levei ela no melhor especialista em felinos da américa latina, Dr. Alexandre G.T. Daniel,  pra ver o que era possível fazer, se havia salvação. Eu precisava esgotar todas as possibilidades.

       O Dr. Alexandre foi muito honesto comigo, disse que eu poderia gastar uma pequena fortuna em exames, (todos com sedação, pois só o stress  da viagem de carro de casa até a clínica gerou um quadro que requereu oxigenação logo que chegou lá, imaginem vcs, levar ela pra fazer tomografia e sei lá mais o quê) pra avaliar 100% o caso, mas, possivelmente não haveria cura e todo o stress gerado na gata não compensava. Que era pra eu dar a maior qualidade de vida possível para ela, isso implicava não só em amor, mas em uma casa extremamente calma (reduzi as visitas, que eram poucas - gente estranha gerava stress, stress gerava falta de ar, que gerava internação, que gerava bla-bla-bla...), nada de odores fortes, seja de  produtos de limpeza, perfumes, incensos, etc. Usar umidificador de ar sempre, principalmente onde ela estava e sair com ela de casa somente em caso extremo, correndo o risco dela não aguentar o trajeto até a clínica. Ele suspendeu qualquer coisa que fosse estressar ela, seja bombinha, medicação oral, etc, deixando bem claro que neste caso, ela precisava era de SOSSEGO e o mínimo de stress, incluindo o meu que refletia nela (essa parte, opa!! rs, exigiu de mim muito! rs)
       Também me deixou bem ciente que as areias do tempo estavam se esgotando... e devia considerar a eutanásia para poupar o sofrimento dela, pois sua morte seria extremamente sofrida e longa - e foi phoda mesmo... até eu achar um veterinário pra aplicar a eutanásia aqui em casa,  eu tomei umas 3 térmicas de 50L de café com o diabo, seguido daquele pãozinho que só ele amassa.



Tá. Então quer dizer que meu gato está respirando 
com a boca aberta pois ele está com o pulmão todo fudido?

        Não, entretanto ele certamente está com graves problemas respiratórios, que estão colocando sua vida em risco.  Leve-o ao veterinário imediatamente.


         Não é normal do felino respirar de boca aberta. Não faz parte de sua anatomia. Ele pode ficar uns segundinhos com a boquinha aberta captando cheiros no ar, mas se permanecer respirando de boca aberta, ofegante, corre para o veterinário.

E se eu não levar?  Será que ele melhora sozinho apenas se acalmando?

Não. A falta de oxigênio vai deixar ele com a língua e a gengiva roxa (sabe aquela pessoa a que morreu estrangulada, ta sufocada e fica meio azulada? Então, é a falta de oxigênio que faz isso), ele começará a salivar, os olhos ficarão estatelados, o corpo tenso procurando melhor posição, a falta de oxigênio causará um esgotamento tremendo em seu bichado e ele vai morrer de uma maneira tão sofrida, que você vai ser jogado diretamente no mármore do inferno por tamanha negligência.

     
    Tá. Chega de esporro.

Respiraçando de boca aberta - ATENÇÃO

       Olha como a Cabíria respirava em crise, ela nem deitava, se seu gatinho estiver assim corre.


Cabiria e sua dificuldade respiratória from Ju Almstadter on Vimeo.


Cabiria e sua dificuldade respiratória from Ju Almstadter on Vimeo.

Vocês podem achar estranho eu filmar uma crise dela, mas toda a jornada dela foi retratado pra virar um filminho no futuro. 
Estas duas tomada foram feitas enquanto esperava chegar o veterinário. (Ou você achou que eu ia filmar e depois chamar a emergência? Não né)


Aqui foi no caminho do veterinário. 
O focinho estava sem pelo pois teve de  raspar para colocar a sonda respiratória.



Rosto Inchado - ATENÇÃO

                         
                             Cabirinha Inchada.                                       Cabirinha normal.
        Na esquerda, a pedido de uma veterinária de uma das internações, usei  uma bombinha para ela respirar melhor e deu ruim, resultando num edema de face (até testei em mim mesma, pra ver que diabos era aquilo!)



Notem  a diferença entre ela e a Mi respirando, aí vcs vão ter uma melhor idéia:



Cabiria e Mi from Ju Almstadter on Vimeo.




O que causa problemas respiratórios em gatos??



Lembrando que eu não sou veterinária, consulte um profissional para saber a causa.
Eu aqui vou apontar superficialmente algumas causas, baseada na minha experiencia e em artigos veterinários.
  • Vermes
         Esses parasitas interferem com a respiração do gato e podem passar despercebidos por períodos prolongados de tempo. Uma infecção grave causada por eles pode causar corrimento nasal, tosse, perda de peso e até mesmo pneumonia.
Os vermes pulmonares podem ser tratados com medicamentos antiparasíticos
  • Doenças virais: rinotraqueíte e calicivirose
       A rinotraqueíte, também conhecida como gripe do gato, é causada pelo herpesvírus e o contágio ocorre por contato direto com secreções de nariz ou olhos e também por espirros. Gatos de qualquer idade podem ser afetados, mas filhotes são mais suscetíveis a pegar a doença. Os principais sintomas são:

– Espirros

– Tosse

– Febre

– Conjuntivite

– Falta de apetite

– Lesões na boca (ùlceras)

– Pneumonia.

       Já a calicivirose é provocada pelo calicivírus e o contágo ocorre pelo contato direto entre o animal doente o animal sadio, principalmente por secreções como a saliva. Também pode ser transmitida por objetos que tiveram contato com o animal doente, como brinquedos e acessórios. Os sintomas são praticamente os mesmos da rinotraqueíte, tanto que às vezes é difícil definir qual das duas doenças está atacando o gato.

       A prevenção da gripe do gato e da calicivirose é feita por meio de vacinação nos primeiros meses de vida do animal.

  • Asma felina ou bronquite alérgica
       É uma doença que afeta cerca de 1% dos gatos e que ocasiona uma intensa resposta inflamatória do organismo, além de inflamação/obstrução das vias respiratórias. Pode ser revertida naturalmente pelo organismo do animal em alguns casos, enquanto em outros exige tratamento médico.
       Gatos entre dois e oito anos estão mais propensos a desenvolver a doença e as fêmeas têm duas vezes mais chances. Gatos siameses e mestiços de siameses também têm mais probabilidades de serem acometidos pela asma felina. Os sintomas mais comuns são:

– Tosse seca

– Dificuldade pra respirar

– Boca aberta

– Cianose (gengivas e língua azuladas)

– Vômito

       O tratamento é feito com medicamentos corticoides e dilatadores das vias brônquicas. De acordo com a severidade do quadro, pode ser necessária terapia com oxigênio e uso de antibióticos, se houver infecção simultânea ou pneumonia secundária. Em casos graves o gato pode necessitar de internação.
       Fique atento! Em caso de tosses persistentes, leve seu gato ao veterinário.

  • Pneumonia
       Geralmente a pneumonia é uma consequência de outras doenças, como por exemplo a rinotraqueite ou a FIV (aids felina). Sintomas de pneumonia são:

– Letargia

– Alteração no peso

– Pelo com aspecto feio

– Tosse

– Secreções no nariz

– Espirro

– Febre

– Respiração ofegante.

 (No caso da Cabíria, o único sintoma foi a tosse, que da pra confundir muito com vômito de bola de pelo ou com regurgitar)

O tratamento é feito com administração de medicamentos e hospitalização do animal. (Cabíria tomou diurético e soro, além de oxigênio, é o que me lembro)

  • Câncer de pulmão
      Câncer é o nome dado à proliferação desordenada de células de qualquer tecido do organismo. Os tumores na região do tronco podem comprimir os pulmões e reduzir a quantidade de tecido pulmonar funcional. Quando a disponibilidade de tecido pulmonar é reduzida, o gato pode ficar sem ar.
       Os tumores ocupam espaço no peito do animal e comprimem os pulmões ou vasos sanguíneos importantes. Por mais que seja possível realizar uma cirurgia de remoção, existem chances de que o gato nunca se recupere do tumor.

 Os sintomas iniciais de câncer de pulmão são:

– Tosse

– Apatia

– Dificuldade respiratória

       Com a progressão do problema, pode haver anorexia, emagrecimento, ruídos na respiração e acúmulo de líquidos no tórax.
       O diagnóstico é feito através do exame radiográfico, ultrassom, exames de sangue e biópsia. O tratamento depende do caso, podendo ser cirúrgico ou medicamentoso. Em alguns casos é indicada a quimioterapia.

  • Efusão pleural
       A efusão pleural é caracterizada pelo acúmulo de fluídos nos pulmões e pode ocorrer caso o gato apresente doença ou infecção renal, ou caso ele possua um tumor no peito com vazamento de fluídos.
       Os fluídos pressionam os pulmões do gato, causando um colapso que os impede de se expandir adequadamente, prejudicando a respiração do animal.
       Caso o gato apresente muita dificuldade para respirar, o veterinário pode drenar o fluído com uma agulha torácica e permitir que os pulmões se encham para alivio temporário. O problema subjacente deve ser tratado para que os fluídos não retornem.


  • Alergias.
  • Envenenamento.
  • Problemas cardíacos.
  • Problemas no pulmão ou no trato respiratório todo.
  • Outras coisas não listadas - sim, pois tudo pode ser.


Dica de ouro:

NUNCA aplique VapoRub em um gato! 
A cânfora, um dos ingredientes principais do VapoRub, é venenosa para gatos. Os efeitos colaterais incluem irritações cutâneas, vômitos, diarreias e convulsões.



Espero ter ajudado um pouquinho vocês!
 Procurem um profissional, ele que realmente vai tirar suas dúvidas!


Despeço-me com a imagem da Cabirinha saudável! Linda da mamãe!<3 div="">










Fontes:
https://adoteumronrom.wordpress.com/2016/03/30/problemas-respiratorios-em-gatos/
https://pt.wikihow.com/Ajudar-o-seu-Gato-a-Respirar-Melhor

Um comentário:

  1. Artigo muito interessante e pode ajudar muita gente. Dói pq a gente lembra do sofrimento, mas é bom olhar pra Cabíria e lembrar das nossas brincadeiras.

    ResponderExcluir