domingo, 22 de março de 2015

O Guarda-roupa de Frida Kahlo: 50 anos guardadas!


         Quando Kahlo morreu, logo após seu aniversário de 47 anos, seu marido e parceiro na arte, Diego Rivera, começou a colocar seus pertences pessoais em um banheiro de sua casa, na Cidade do México. Com a morte de Rivera, em 1957, a casa de ambos conhecida como La Casa Azul, tornou-se o Museo Frida Kahlo.
       Após a morte de Frida, em 1954, seu marido ordenou que suas roupas ficassem trancadas por 15 anos. Diego faleceu três anos mais tarde, deixando a colecionadora de arte Dolores Olmedo como gerente de sua casa, que se recusou a liberar o acesso ao arquivo com cartas, roupas, joias e fotografias de Frida. Depois da morte de Dolores, três vestidos de Frida por expostos pelo museu em 2007, causando furor no mundo da moda. “A história de Frida começou a mudar com a descoberta de suas coisas”, disse Hilda Trujillo, diretora do museu. 
        Durante a última década, o museu foi finalmente capaz de catalogar e organizar o conteúdo do closet, que também guardava centenas de documentos, fotografias e obras de arte – além de cerca de 300 peças de roupa e objetos pessoais. desde um par de brincos que Picasso deu a Frida, até a suas próteses personalizadas.
      Apenas em novembro de 2012, em colaboração com a Vogue México, o museu abriu a primeira exposição das roupas de Kahlo, apresentando seu vestuário através da lente da deficiência, do poder feminino, assim como a sua contínua influência sobre a moda.














Botinha com saltos em tamanhos diferentes para melhor se adaptar a suas pernas.



Cinzeiro portátil









Vídeo de divulgação da exposição "Las apariencias engañan: los vestidos de Frida Kahlo"








       Muitas das blusas de Frida foram feitas sob medida. Segundo os organizadores da exposição, ela comprou os tecidos e os levou para costureiras indianas. 

         As estampas e cores fortes são marcas do estilo de Frida. O vestido Tehuana foi uma peça que levava a assinatura de Frida. Ela o usava com grandes brincos de ouro e flores sobre seu cabelo trançado. Não é um vestido que ela escolheu por acaso”, disse Circe. O vestido se tornou parte de seu visual característico em diversos autorretratos e foi copiado por diversas mulheres ao redor do mundo. 
As flores bordadas são outro detalhe que aparcerem em diversas peças de Frida. 



       A exposição As Aparências Enganam: os Vestidos de Frida Kahlo vai incluir peças da artista como saias, blusas, capas e camisas. A mostra ainda terá o espartilho usado por Frida em seu autorretrato ‘A Coluna Partida’, e um brinco, presente de Pablo Picasso, que aparece em outro quadro da pintora. “Ela tinha um enorme autoconfiança. Estava convencida de que o que ela usava transmitia como era internamente”, disse Alejandra Lopez, restauradora de arte do museu. 


fonte: http://www.defender.org.br/exposicao-mostra-como-frida-kahlo-usava-moda-para-cobrir-imperfeicoes-2/

.