segunda-feira, 17 de setembro de 2018

O Amor, a Morte e a Diferença nas Obras de Joel-Peter Witkin


"My art is not about darkness. My art is about love."

       Joel-Peter Witkin (Brooklyn em 1939) é um fotógrafo cuja temática retrata pessoas que historicamente vivem à margem da sociedade, como portadores de deformidades, hermafroditas, anões, amputados, andróginos, transsexuais, prostitutas, praticantes de parafilias,  e... cadáveres, sejam humanos ou de animais.

Witkin não foi fotógrafo de guerra, (desinformação ampla e falsamente divulgada, que ele desmitifica em Joel-Peter Witkin: An Objective Eye) nem mesmo participou da guerra do Vietnã,  embora tenha servido e se alistado, tendo como base um desejo romântico de participar da guerra do Vietnã e sair da guerra desta como um conclamado fotógrafo de guerra.
       Trabalhou como fotógrafo freelance, tornando-se o fotógrafo oficial do City Walls Inc. e mais tarde, estudou escultura na Universidade de Columbia, ganhando um BFA em 1974, e recebeu seu MFA da Universidade do Novo México em 1986. 

       Houveram diversos episódios marcantes na infância de JPW, onde críticos procuram encontrar respostas para a sua fascinação  pela morte, em especial um acidente de automóvel na frente de sua casa em que uma jovem foi decapitada:

"Aconteceu em um domingo quando minha mãe estava acompanhando meu irmão gêmeo e eu pelas escadas do prédio onde morávamos. Nós íamos à igreja. Enquanto caminhamos pelo corredor até a entrada do prédio, ouvimos um estrondo incrível misturado com gritos e gritos de socorro. O acidente envolveu três carros, todos com famílias neles. De alguma forma, na confusão, eu não estava mais segurando a mão da minha mãe. No lugar onde eu estava no meio-fio, eu pude ver algo rolando de um dos carros virados. Parou no meio-fio onde eu estava. Era a cabeça de uma garotinha. Eu me abaixei para tocar o rosto, para falar com ele - mas antes que eu pudesse tocá-lo, alguém me levou embora" - Joel-Peter Witkin

      Seu interesse na espiritualidade, em particular os ensinamentos do Cristianismo, influencia fortemente seu trabalho, além de frequentes referências a pinturas clássicas, como as de Picasso, Balthus, Goya, Velásquez, e Miró reaparecem dramatizadas de maneira muito peculiar.

Joel-Peter Witkin
Las Meninas, 1987

Diego Velázquez
As Meninas


Joel-Peter Witkin
Picasso no Purgatório, 1987

Eu queria que minhas fotografias fossem tão poderosas quanto a última coisa que uma pessoa vê ou relembra antes da morte

O trabalho de Witkin tem sido exibido internacionalmente, no Museu de Arte Moderna de Nova York, a Galeria Fraenkel, em San Francisco, Galerie Baudoin Lebon em Paris, e da Bibliotheque Nationale de France, em Paris, entre muitos outros. Witkin é representada por Catherine Edelman Gallery e atualmente reside em Albuquerque, Novo México. 

Opinião pessoal___________________________________________________________________

       Particularmente sou fã do trabalho de Witkin, entretanto confesso certa dificuldade ao montar este artigo, pois debruçar-se sobre a obra de Witkin, exige certo tônus mental e emocional.
      Muitos artigos que li rotulam a obra como grotesca, mórbida e bizarra, lógico que não posso negar que tais elementos estejam presentes em suas fotografias em diversas medidas, entretanto reduzi-las a isso é tremendamente injusto. A arte de Witkin é muito difícil de ser observada e exige longas pausas, não só de observação, como de afastamento, de maneira que a cabeça dê uma "refrescada"  e até uma "desintoxicada", e mesmo assim, as imagens permanecem rodopiando a mente e até perturbaram meu sono, isso se deve não só pelo de possuirem elementos perturbadores, mas por levar a mim e a qualquer observador a inúmeros questionamentos.

     Ao passo que Witkin é extremamente conservador, repudiando o uso do Photoshop ou câmeras digitais, realizando todo o processo de maneira artesanal, raspando, recortando os negativos e colorindo as revelações manualmente, seu trabalho é de extremamente vanguarda, diria que único. 

Joel-Peter Witkin
Night in a Small Town (2007)
A imagem acima é um exemplo da sua incrível capacidade de manipulação imagética sem o uso de qualquer recurso digital.

       A idéia da diferença o fascina e trazê-la à luz da sociedade, é um gesto de inclusão, tema muito em voga nos dias atuais, principalmente nos movimentos LGBT, e tudo que é amplamente divulgado tende a  normalização,  podendo, de certa maneira, esmaecer a força de suas imagens, entretanto, se voltarmos um pouco no tempo, quando na década de 80 e 90, ele fotografava homens e mulheres trans, andróginos e hermafroditas,  tidos como participantes de um cenário underground e até chamados maldosamente de aberrações pelos mais preconceituosos e/ou ignorantes, vemos aí um trabalho inclusivo de vanguarda.

Joel-Peter Witkin
Graças, Los Angeles
1988
Joel-Peter Witkin
Madame X
1981
Joel-Peter Witkin
Homen com um Cão
1990

Joel-Peter Witkin
Lindo Homem Jovem
1939

Joel-Peter Witkin
Os Ovos da Minha Amnésia
1996

Joel-Peter Witkin
Journies of the mask, Helena Faurment,
San Francisco , 1984
Joel-Peter Witkin
Nascimento de Vênus
NYC 1982

Joel-Peter Witkin
Hermafrodita com Cristo
1985
Joel-Peter Witkin
Androgyne breast feeding a Fetus
1981

     Entretanto, a inclusão/retratação/divulgação de Joel é muito mais profunda e abrangente, trazendo luz aos alijados, aos desvalidos da sociedade, como doentes mentais que vivem manicômios (instituições psiquiátricas, adotando um termo mais polido), amputados, pessoas fisicamente deformadas e praticantes de parafilias (tema complexo, revisto periodicamente pela sociedade, sendo impossível classificar alguma  prática como parafílica definitivamente).

Joel-Peter Witkin
O coletor de fluidos, NM ,1982

Joel-Peter Witkin
Woman About to Castrate a Man
NM, 1982

Joel-Peter Witkin
Testicle Stretch With The Possibility Of A Crushed Face, NM, 1982
Joel-Peter Witkin
Arm Fuck, NYC,
1982

Joel-Peter Witkin
The American Way, NM, 1981

Joel-Peter Witkin
Madan, 1981
Joel-Peter Witkin
Woman Masterbating On The Moon, NM, 1981
Joel-Peter Witkin
Portrait of the Constellation- Entrail Lust, San Francisco, 1984

Joel-Peter Witkin
Eunuch, NM,
1983

Joel-Peter Witkin
A Day in the Country, Poland, 1998
        JPW não julga as atitudes das pessoas que fotografa, segundo ele, apenas as observa.

Apollo and Daphne in the Garden of Olives, Los Angeles

Joel-Peter Witkin
Retrato do anão de 2006


Joel-Peter Witkin
Green with breasts, Berlin, 1998
     Green with a Breast, remeteu-me as fotografias de Irina Ionesco e suas polêmicas imagens sensuais de sua filha, na época, menor de idade, que depois de adulta, processou a própria mãe.

Joel-Peter Witkin
Le Ragazzo Con Quatro Bracci, 1984

Joel-Peter Witkin
Woman in the Blue Hat, 1985
Joel-Peter Witkin
Costumed inmate, insane asylum, Budapest, 1993
Joel-Peter Witkin 

Joel-Peter Witkin
Man without legs, New York, 1984–1984
Joel-Peter Witkin
Siamese twins, 1988–1988

     Observo também que a inclusão/retratação/divulgação destas pessoas por JPW se dá de maneira muito diferente da amplamente divulgada em mídias sociais, onde a padronização da beleza impera juntamente com um certo higienismo, objetivando a uniformização, trazendo a tão almejada inclusão e a aceitação social. É curiosa a ilusão da aceitação na singularidade, através da uniformidade.
      JPW gosta e reverencia a diversidade/diferença, tanto que a eleva a enésima potência, expondo o  que as pessoas procuram esconder a todo custo, seja o "defeito", a "anormalidade", a "feiura", ou a "deformidade" mostrando que a beleza reside justamente na unicidade do ser, enxergando, inclusive o sagrado nesta.

       "Eu  fotografo pessoas animadas, reais e pessoas inadequadas. Fotografo pessoas que estão fora do recinto da sociedade, como homossexuais, pessoas que mudam sua identidade sexual.
     Se fotografo pessoas que são 'deformadas'? Eu não gosto da palavra 'deformado', porque isso significa que elas não são normais. Eles são normais para elas mesmas. 
    Eu não faço fotografias para mostrar a beleza, eu não faço fotografias que vão nas paredes para decorar a casa."
Joel-Peter Witkin



Joel-Peter Witkin
Humor and Fear, 1999

       A temática religiosa cristã é presente em diversas imagens, filho de mãe católica e pai judeu e se confessa um religioso praticante.

 "Sou muito religioso e penso que nosso tempo na terra deve ser um tempo de moralidade" Joel-Peter Witkin

 "Meu trabalho não é escuro. Mas sobre o amor. Eles são feitos para mostrar que vivemos em uma sociedade tão diversa. Existem muitos tipos de pessoas, mas todos merecem ser amados ” Joel-Peter Witkin 



     Já disse e repito, gosto do trabalho de JPW, entretanto, algumas dúvidas surgiram em minha mente após assistir diversos documentários e entrevistas, particularmente quando vi "l'image indélébile", onde ele veio aqui para São Paulo, Capital, escolher alguns modelos para figurarem suas fotos. Ao mostrar no documentário os mesmos alijados, só que com rostos diferentes,  que encontro quase todas as vezes que eu saio as ruas, (sim, aqui no Brasil, são muitos, principalmente nos grandes centros urbanos, e eles não se escondem, ao contrário, se preciso for, pulam em sua frente para serem notados), começo a questionar seu discurso sobre o amor e a compaixão para com estas minorias, presente em diversas entrevistas.
    Se existisse mesmo um interesse nato no bem estar dessa população, por que parte do que é arrecadado com a venda de suas fotos não vai para alguma instituição de caridade,  algum projeto social, ou até mesmo para os modelos ou familiares dos modelos que ele clicou? Eu vi ele pagando uma quantia ínfima as pessoas que participaram, para depois dos clicks,  largar estas no mesmo lugar de   desgraça e desespero que ele os encontrou. 
      Como e onde  estas fotografias fizeram  efetiva diferença na vida destas pessoas? Eu não sei. Estou aberta para saber. Confesso minha ignorância, minha falta de conhecimento.
      Será que seu trabalho é uma espécie de Peep Freak Show  Cult e nós, meros curiosos?
      Será que este amor demonstrado e falado não é eros? Em vez de ágape e filia?
      Não sei. Só estou trazendo até vocês minhas inquietações.

Joel-Peter Witkin
Un Santo Oscuro, 1987
Joel-Peter Witkin
Penitente, N.M., 1982

Joel-Peter Witkin
Choice of outfits for agonies of Mary, 1984



Joel-Peter Witkin
Christ in glory, 1982


Joel-Peter Witkin
Saviour of the primates, 1982



E claro, os polêmicos cadáveres, sejam de fetos, adultos, animais, aos pedaços, inteiros, pútridos...

Joel-Peter Witkin 
Joel-Peter Witkin
Cupid and centaur in the Museum of Love, Marseilles, 1992

Joel-Peter Witkin
Woman Onde a Bird, 1990

Joel-Peter Witkin
Harvest, Philadelphia, 1984

Joel-Peter Witkin
Glassman, Mexico City, 1994
Joel-Peter Witkin
Still life, Marseilles, 1992

Joel-Peter Witkin
The Kiss, 1982
    Algumas imagens tem referências claras de sua história, como na imagem acima, "O Beijo", (não foi ele que serrou o cadáver,  já estava assim), alude a idéia de um reencontro com seu gêmeo idêntico.  Assim como os pequenos fetos que aparecem certas imagens, aludem a sua irmã gêmea Sarah que foi abortada espontaneamente. Joel é um dos trigêmeos, que sobreviveu juntamente com seu irmão Jerome, recorrendo a terapia Primal durante muitos anos em NYC para lidar com trauma.


Joel-Peter Witkin
Mulher como a medida de todas as coisas
1982
Joel-Peter Witkin
The Invention of Milk
1982
Joel-Peter Witkin
Prom Foto
Bogota, 2008
"As pessoas dizem que meu trabalho é mórbido. De fato, a morte faz parte da vida. O que eu quero expressar, através de minhas imagens, é que a morte é o fim da vida, mas não da existência.


      As fotografias de JPW mostra a força imagética da fotografia.
     Eu particularmente já vi inúmeras ilustrações que tratam do mesmo tema que as fotografias de JPW, no entanto, elas não me causam o mesmo incomodo, a mesma "indigestão" que seu trabalho,  e, após certa reflexão, concluo as imagens feitas através da fotografia traz a dureza da realidade, não abrindo espaço para maiores fantasias; pode-se adornar o tema com inúmeros enfeites, alegorias e efeitos,  entretanto, a realidade, dentro do contexto fotográfico nunca é amortizada, ao contrário, quanto mais tentativas de dissimulação, mais gritante ela fica.

Documentários

Joel-Peter Witkin: My Art is about Love



..................................................................................................................................................................

Joel-Peter Witkin: An Objective Eye
(OFFICIAL 30 MINUTE FREE PREVIEW)



Ano: 2013
Diretor: Thomas A. Marino
Duração: 120 minutos 
Tipo: Documentário 

......................................................................................................................................................................

Joel-Peter Witkin "l'image indélébile"




Ano: 1994 
Diretor: Jerome Missolz 
Duração: 52 minutos 
Tipo: Documentário

......................................................................................................................................................................

Distinguished Lecture Series at UNM Art Museum



......................................................................................................................................................................

"Eu tenho uma necessidade real de compreender a existência. Esta necessidade se torna arte quando atinge os limites extremos do possível" 
JP Witkin



Timeline




1939
Born in Brooklyn, USA
1974
CAPS Grant in Photography NYC
1977
Ford Foundation Grant
1982
Natl Endowment for the Arts Photography Fellowship
1984
Natl Endowment for the Arts Photography Fellowship
1986
Natl Endowment for the Arts Photography Fellowship
1988
International Center of Photography Award
1991
The French Minister of Culture/awared by Jack Lang
1992
Natl Endowment for the Arts Photography Fellowship
1999–2000
Commander of the Legion of Honor, Paris
Lives and works in Albuquerque, USA1939
2005
His work Studio de Winter is exhibited at the Louvre, Paris.
2007
Witkin receives a letter confirming that the serious accident  he witnessed as a child, which strongly market him, dd genuinely take place
2008
His work Las meninas is exhibited at the Picasso Museum, Barcelona.
He currently lives in Albuquerque, NM.




















Fontes:


WITKIN, Joel-Peter; PARRY Eugenia. Joel-Peter Witkin (Photofile). Londres. Ed. Thames & Hudson, 2008.http://www.artnet.com/artists/joel-peter-witkin/29
http://www.ethertongallery.com/html/artist_detail.php?
https://www.youtube.com/watch?v=ro55ed2AAak
https://en.wikipedia.org/wiki/Joel-Peter_Witkin
http://www.soskine.com/artists/joel-peter-witkin?view=slider#12
https://dangerousminds.net/comments/sex_death_dismemberment_joel-peter_witkins_portraits_of_outcasts_severed_he
http://www.horvatland.com/WEB/en/THE80s/PP/ENTRE%20VUES/Witkin/entrevues.htm
http://rising.blackstar.com/joel-peter-witkin-in-colombia.html
http://www.soskine.com/artists/joel-peter-witkin?view=slider#6
https://www.icp.org/browse/archive/constituents/joel-peter-witkin?all/all/all/all/0

Um comentário: